Das coisas relativas

Cinco anos. Parecia tempo demais quando tinha cinco anos, pois era toda minha vida. Hoje, cinco anos são um olhar para trás um pouco demorado. Especificamente cinco anos atrás era o tempo que queria estar. Não é possível desfazer, ao mesmo tempo que nunca completamente é possível ir em frente. Cinco anos também podem ser … Continue lendo Das coisas relativas

Resenha -> “Ideias para adiar o fim do mundo” (2019), “A Vida não é útil” (2020), de Ailton Krenak

Todo ano nos deparamos com a notícia de records de temperaturas extremas, de incêndios florestais, de mais e mais espécies extintas ou ameaçadas de extinção. Uma coisa está clara: o mundo como o conhecemos está tendo um fim. Ao mesmo tempo nos negamos a resolver as causas, as vezes nos negamos até a reconhece-las. O … Continue lendo Resenha -> “Ideias para adiar o fim do mundo” (2019), “A Vida não é útil” (2020), de Ailton Krenak

Resenha -> Eichmann em Jerusalém, de Hanna Arendt

Tenho profundas discordâncias de ordem política com Hanna Arendt, mesmo reconhecendo sua importância como grande pensadora. Feitas as devidas observações, Eichmann em Jerusalém é um misto exemplar de relato jornalístico e análise filosófica de um fato. Fato este que a dupla análise ajuda a dar holofotes para sua importância enquanto momento histórico: estamos diante de … Continue lendo Resenha -> Eichmann em Jerusalém, de Hanna Arendt

Insatisfação crônica: felicidade, faça-me rir

Eu tive sucesso, poderia ter mais sucesso. Eu comprei um livro, poderia ter poupado dinheiro para uma viagem. Viajei, deveria ter poupado para comprar um carro. Sou dono de uma pequena frota, deveria ter uma casa. Deveria ter viajado mais. Não é querer mais, é querer outra coisa. Sempre, o tempo todo, ontem, hoje, amanhã. … Continue lendo Insatisfação crônica: felicidade, faça-me rir

Sobre filmes e a vida como um filme – um pouco de alguém

Quando era criança imaginava sempre a vida como um filme. Ora era um aviador, ora um velejador. Imaginava um roteiro triunfante (ainda que com as falas sempre improvisadas), uma música para cada momento. Assim os momentos ruins se justificavam, o final quase sempre era feliz. O mocinho terminava com a mocinha. Dizem que algumas pessoas … Continue lendo Sobre filmes e a vida como um filme – um pouco de alguém

Resenha -> Não Verás País Nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão

As vezes um livro inteiro merece ser citado. Seja pelo estilo, seja por qualquer outro fator. As vezes é pela capacidade de antecipar e extrapolar tendências do mundo real. Cada dia que passa o livro de Loyola Brandão torna-se mais um retrato visionário do mundo que vem sendo gestado. O mundo retratado parece absurdo demais … Continue lendo Resenha -> Não Verás País Nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão

Sobre aqueles que não podem ser felizes

Felicidade Algumas pessoas não nasceram para serem felizes. Seja como veem o mundo, seja como interagem com outras pessoas, alguns humanos não conhecerão a felicidade. É um defeito de nascimento e a vida adulta apenas piorará seu gênio difícil e lhes dará uma aura hostil. Diante dos bem-aventurados, seu comportamento é de inconscientemente sugar toda … Continue lendo Sobre aqueles que não podem ser felizes

Sobre o plástico e capitaloceno

Em 1907 o plástico foi inventado. Plásticos demoram centenas, talvez milhares de anos para serem decompostos. A produção anual ultrapassa milhões de toneladas de plástico e boa parte tem como destino final os oceanos, sendo apenas uma fração é reciclada ou incinerada. São várias vidas humanas que cada plástico ira testemunhar, várias gerações. O paradoxo … Continue lendo Sobre o plástico e capitaloceno